Estado do Rio teve um roubo ou furto a cada um minuto e 20 segundos em 2016

PM reforça policiamento em viaduto de Pilares depois que uma jovem de 17 anos morreu num assalto, em maio do ano passado Foto: Roberto Mor...

PM reforça policiamento em viaduto de Pilares depois que uma jovem de 17 anos morreu num assalto, em maio do ano passado Foto: Roberto Moreyra / 08.05.2016
RIO DE JANEIRO - A explosão da violência no Rio, sentida na pela do cidadão, também se comprova nas estatísticas. Em 2016, de acordo com dados divulgados nesta quarta-feira pelo Instituto de Segurança Pública (ISP), o estado foi palco, ao todo, de 388.753 casos de roubos ou furto — é como se uma pessoa se tornasse vítima desse tipo de crime a cada um minuto e 20 segundos, aproximadamente.

A situação mais crítica é justamente a dos roubos, que abrangem as ocorrências em que há emprego de agressão ou ameaça para subtrair bens de terceiros. Foram 208.908 registros deste tipo no ano passado, contra 147.933 em 2015 (um aumento de 41,2%). Já os casos de furto, na mesma comparação, apresentaram ligeira queda, de 5,9% (de 179.845 para 169.206).

Os assaltos em ônibus no Rio também aceleraram em 2016: foram 13.828 ocorrências, quase 38 por dia. O número é 77,2% maior do que o registrado em 2015, na alta mais significativa entre os principais tipos de roubo analisados pelo ISP. Só no último mês de dezembro, foram 1.404 roubos no interior dos coletivos, o dobro do computado em 2015. Foram 658 casos na capital, 584 na Baixada Fluminense, 87 na Grande Niterói e 75 no interior do estado.

Maior número de roubos dos últimos 25 anos

O estado do Rio também atingiu, no ano passado, o maior número de roubos de veículo, a pedestre e de carga dos últimos 25 anos. Os três tipos de crimes alcançaram, em 2016, segundo o ISP, o total mais alto desde 1991 — estatística mais antiga disponível no site do órgão (veja mais no infográfico ao fim da matéria).

Os 93.955 roubos a pedestres ocorridos no estado ao longo de 2016 — o equivalente a dez casos por hora, em média — superaram a soma de todos os primeiros oito anos computados pelo ISP, entre 1991 e 1998, período em que houve 91.224 casos do gênero. Até então, o pior ano registrado nesse quesito havia sido 2014, com 80.558 pedestres vítimas de roubos, cerca de 15% menos do que no ano passado.

Também chama a atenção a explosão nos roubos de cargas, que vêm crescendo ano a ano desde 2013, ininterruptamente. De lá para cá, os casos quase triplicaram, saltando de 3.534 para as 9.874 ocorrências registradas durante 2016. Na comparação com o ano anterior (7.225 roubos), o aumento também é expressivo: 36,6%.

Já os roubos de veículo ultrapassaram, pela primeira vez na série histórica, os 40 mil casos em um único ano. Os 41.704 registros do gênero em 2016 também representam um retorno de mais de uma década, superando o período compreendido entre 2002 e 2006, que concentrava até então o pior desempenho nessa estatística.


Reações: 

Postar um comentário Default Comments

emo-but-icon

Rede Social

.

.

Popular

Recente

Comentários

Facebook

Google+

Receba matérias no seu e-mail

Arquivo do site

item