Da Baixada para o mundo: Morador de Nova Iguaçu participa de projeto da ONU

NOVA IGUAÇU -  Projeto da ONU que tem como objetivo difundir as ideias de sustentabilidade na Baixada Fluminense através da arte e da m...


NOVA IGUAÇU - Projeto da ONU que tem como objetivo difundir as ideias de sustentabilidade na Baixada Fluminense através da arte e da música tem com um dos produtores morador de Nova Iguaçu, uma das 13 cidades que compõe a Baixada.

O projeto piloto das Nações Unidas chamado ‘Música para Avançar o Desenvolvimento Sustentável’ começou a ser implementado em junho de 2016 na Baixada Fluminense. Trata-se de um piloto porque o objetivo da ONU é desenvolver, a partir deste projeto pioneiro, uma nova metodologia para ser replicada nos 166 países nos quais o Programa da ONU para o Desenvolvimento (PNUD) possui operações. O foco do projeto piloto é capacitar músicos, artistas e produtores culturais das regiões metropolitanas das grandes cidades dos países em desenvolvimento a trabalharemos os temas da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável em suas novas músicas, composições, shows e eventos. Com isso, a ONU pretende trazer os conceitos de sustentabilidade para o dia a dia do cidadão comum, de tal modo que ele possa saber cobrar mais ação e resultados por partes de todas as esferas governamentais.

Um dos produtos deste projeto piloto foi a produção de um documentário de 65 minutos sobre a agitada e efervescente vida cultural e artística da Baixada Fluminense, um lado que raramente ganha espaço na cobertura tradicional da mídia. O documentário “Baixada Nunca Se Rende” foi dirigido e produzido pelo cineasta italiano Christian Tragni e pela cineasta brasileira Juliana Spinola, que passaram quase dois meses na Baixada produzindo o filme que foi lançado pela ONU no Cine Odeon, na Cinelândia, no último dia 17.

O morador de Nova Iguaçu Wilians Alves se orgulha de ter sido um peça-chave do projeto piloto da ONU e também do documentário “Baixada Nunca Se Rende”, que será exibido em 2018 e 2019 em 166 países. Wilians é funcionário do Centro Mundial para o Desenvolvimento Sustentável, o Centro RIO+, organismo do Programa da ONU para o Desenvolvimento que foi estabelecido no Rio de Janeiro em 2013 como um dos legados da histórica Conferência Rio+ 20, de 2012.

Wilians, assistente administrativo do Centro RIO+, foi coprodutor do filme da ONU, trabalhando com o cineasta italiano e a cineasta brasileira durante todo o período de produção do filme na Baixada. Nativo da Baixada, Wilians soube guiar com perfeição e orientar os cineastas num complexo trabalho de produção do filme em diversas cidades da Baixada, entre janeiro e março de 2017. O foco do filme foi mostrar ao mundo o processo de formação e desenvolvimento do primeiro coletivo de artistas das periferias apoiado pela ONU, o “BXD-Baixada Nunca Se Rende”, que participa do projeto piloto do Centro RIO+ como parceiro, ao lado do Centro Cultural Donana, de Belford Roxo.

Wilians afirma que no decorrer dos dias percebeu que seu envolvimento com o projeto era muito além do que ele imaginava. ‘Me senti muito honrado de poder ter um papel ao lado de dois grandes cineastas e poder mostrar ao mundo um lado da Baixada que é muito esquecido”, afirma. 

O filme também será exibido em diversas localidades na Baixada, começando por Duque de Caxias, em evento na Unigranrio no dia 9 de junho, como parte da Virada Sustentável 2017. O evento é aberto ao público e gratuito, começando às 13h. As inscrições estão abertas pelo Facebook do Centro RIO+:https://www.facebook.com/events/666704126863841/

Via Noticias de Nova Iguaçu
Reações: 

Poderá gostar também de

ONU 5815935820022668395

Postar um comentário Default Comments

emo-but-icon

Rede Social

.

.

Popular

Recente

Comentários

Facebook

Google+

Receba matérias no seu e-mail

Arquivo do site

item